A dor e a delícia

“Para cada carta de amor escrita, há outra queimada”, já dizia a música. É raro, em uma relação amorosa, as duas partes decidirem simultaneamente que o melhor para os dois é se separar. Geralmente essa conclusão chega quando o relacionamento já está tão desgastado que pelo menos uma das partes não quer mais tentar fazer dar certo.

Quanto mais longa e íntima for a relação, maior o sentimento de perda que ela gera. A mente tem suas ferramentas para lidar com essa ausência e há todo um processo, que pode ocorrer sucessiva ou simultaneamente. O tempo e a forma como cada um lida com a dor varia de pessoa para pessoa. Alguns passam muito tempo negando, outros sofrendo e assim vai.

A psiquiatra suíça Elisabeth Kübler-Ross identificou “as cinco fases do luto”. Luto, aqui, está relacionado a qualquer perda significante, incluise o término de um relacionamento amoroso. Você sabe quais são os 5 estágios?

Fases do Luto

 

1. Negação

É o primeiro mecanismo que o Ego utiliza para se proteger da dor psíquica diante de uma perda. A intensidade da negação varia, quanto melhor alguém consegue lidar com sua dor, menor o grau de negação. Geralmente essa fase é curta.

2. Raiva

Como não dá pra viver em negação pra sempre sem ficar louco, a raiva é a reação do Ego ao ter que encarar a realidade. Inveja e ressentimento andam de mãos dadas com a raiva, que geralmente tem como alvo todo ambiente externo. Tudo é hostilizado, nada é bom.

3. Barganha

Quando a pessoa percebe que não dá pra negar o que aconteceu e a fúria também não resolveu, ocorre a tentativa de negociação para que as coisas “voltem a ser como antes”. Súplicas e promessas são os atores principais nessa fase, principalmente aqueles feitos “em segredo”, numa tentativa desesperada de preencher a lacuna.

4. Depressão

Quando não resta mais nada a não ser encarar a perda, vem a fase de maior sofrimento, a depressão. Geralmente essa fase vem acompanhada da necessidade de introspecção e isolamento. As perspectivas da perda se tornam claras e a dor mais profunda.

5. Aceitação

Aqui, além de ter plena consciência de sua realidade, a pessoa se habilita a enfrentá-la, mesmo com todas as limitações existentes. Apesar de não ser uma fase propriamente  “feliz”, já que é destituída de sentimentos, é o primeiro passo para voltar à vida normal.

E você? Em que fase você costuma se prender por mais tempo?

Anúncios

3 Respostas para “A dor e a delícia

  1. Dilma

    Com é difícil supera, passar por qualquer dor!!! O luto e algo terrível, penso pior do que saber que alguém morreu! Pois somos obrigados a passar por mais que sejamos conhecedor do assunto! Você experimentar, sentir realmente é doido demais!!!!!! Superar é um desafio na caminhada!! Precisamos de alguém? um pessoa? Psicológo!!!!??? Sei que precisamos de Cuidados e amor!!!!!

  2. Pingback: O divórcio e a felicidade | Nem Romeu Nem Julieta

  3. Pingback: Trilha Sonora « Nem Romeu Nem Julieta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Histórico

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber novos posts por email.

%d blogueiros gostam disto: